13 novembro 2006

Regresso ao tacho do Mestre Joe

Super retro-mix de costeletas com molho de pimentos
Ingredientes:
2 costeletas
1,5 pimento grande
1 cebola
3 dentes de alho
Óleo
1,5 dl de água
Pimentão doce, pimentão picante e sal a gosto
Pão ou tostas
Um bom naco de Brie
Whisky
Gelo a gosto
Dois Cd's compilados por Mestre Joe
A pedido de várias famílias, eis que o Mestre Joe volta a abrir o seu livro e a brindar as melhores donas de casa com mais uma apetitosa receita.
Como todos sabemos, a primeira coisa a fazer quando se começa a cozinhar é escolher um som. Hoje resolvemos começar com Mirror Man, uma canção algo esquecida dos Human League com um cheirinho a Motown. Nada melhor para acompanhar do que uma tostinha barrada com Brie - procedimento que deve repetir-se com generosidade ao longo da confecção do jantar. De seguida, e enquanto o leitor de CD se encarrega de passar para os Style Council e Walls come tumblin' down (uma das duas ou três boas músicas de jeito que o Sr. Weller nos deixou), deve colocar-se cuidadosamente gelo num copo e regá-lo com Whisky. E estamos prontos para colocar o óleo no Wok e fritar as costeletas enquanto acompanhamos o Yeke Yeke de Mori Kante com danças tribais. Segue-se C30! C60! C90! Go! dos nossos bem conhecidos Bow Wow Wow (canção que por um triz não é o hino da C70), ideal para picar a cebola e os dentes de alho. E quando o leitor começar a debitar os "Chaka Khan" semi-gagos que abrem a alegre I feel for You, é sinal que as costeletas podem ser postas de lado e tapadas com papel de alumínio. É nessa altura que, acompanhados do French Kissin' da bela Debbie Harry, deitamos no Wok a cebola e os dentes de alho previamente picados, dedicando-nos então a cortar em fatias o pimento e meio. E pergunto eu: qual a melhor cançao queconhecem para acompanhar esse momento de grande concentraçao? Adivinharam - o Japanese boy de Aneka, a escocesa esquecida. A missão deverá estar cumprida antes de poderem dizer "Yazz", porque nessa altura já estarão a levantar os braços enquanto trauteiam The only way is up. Cortados os pimentos, é altura de verter mais ou menos 2/3 dos ditos no Wok de serviço, acrescentando a água e os temperos. Para mexer, a canção que se afigura mais adequada é (obviamente!) Wishing, da banda com os piores penteados dos anos 80 (título deveras disputado com os Alphaville e os A-ha) - nada menos que os inesquecíveis (nomeadamente pelos seus pais e filhos) A flock of seagulls.
E aqui há um pequeno momento mágico. Sinto sempre um pequeno baque quando o grande Billy Ocean entra em cena contando-nos a história da sua Caribbean Queen. Kanye, filho, querias ter esta pinta, mas ainda tens que comer muita sopinha de cavalo cansado.
Refeito da emoção, o cozinheiro nãop tem alternativa senão reencher o seu copo com mais chá de malte. E tem que ter cuidado para que o azeite que escorre das colunas não estrague a comida. É que quem canta agora é o inefável David Lee Roth, vocalista dos Van Halen, que grita Jump! Obedientes que somos, saltamos. Por esta altura, já a água ferve, e com ela os pimentos, a cabola e o resto. É deixá-la ferver, porque há coisas mais importantes a fazer; por exemplo, gritar papa-ooma-mow-mow enquanto toca o Surfin Bird, cortesia dos Trashmen. É logo a seguir entra o chefe, o rei, o maior. Entra e ordena, imperial: Let's dance! Quem somos nós para o contrariar? Bailemos, pois. E com garbo.
Ora já começam a ser horas de ir para a mesa, de modos que convém deixarmo-nos de tangas e acabar o jantar. O problema é que precisamente aqui aparece o trio diabólico. Os Beastie Boys, malcriadões, aparecem sem serem convidados e desatam a gritar No sleep till Brooklin, e o cozinheiro grita com eles enquanto, ajudado pela varinha mágica, transforma furiosamente em puré tudo o que estava no Wok. A situação nao melhora nada quando se começa a ouvir Rock Lobster, uma das canções mais disparatadas e contagiantes de sempre. Assim não há condições para trabalhar, porra! Vá lá que já está quase tudo feito, e a coisa entra num registo mais laidback com Ronnie Cook e a versão original do Goo Goo Muck. Por esta altura já se acrescentou ao puré meio pacote de natas, e se pôs lá dentro o resto dos pimentos e as costeletas. Vai tudo ao lume. E fica tão bonito e com tão bom aspecto que só apetece olharmos, embevecidos, para o resultado final. A coisa é de tal forma que até os Manic Street Preachers resolvem cantar um belo Can't take my eyes off you. Bute para a mesa, que está tudo com fome.
Acompanha com arroz branco, cerveja e Whiskey - sendo Whiskey, neste contexto, o 1º álbum do Jay-Jay Johanson, e não aquela bebida em que estavam a pensar.


Para a sobremesa os Chicos Bestiales. Enorme malha, grande clip.


Bon appétit!

8 comentários:

Pseudo disse...

O que eu me ri ao visualizar-te nestas andanças! :)

O teu rebento não acha que tem um pai um bocado tolo? :P

Joe disse...

O meu rebento participa activamente nestas danças de cozinha. Então quando eu ponho a sua rockalhada preferida (o "Gay Bar", dos Electric 6) passa-se dos carretos, a abanar a cabeça e a gritar "gay bar, gay bar, gay bar!!" Qualquer dia tenho que filmar a cena, para mais tarde ele ver o que fazia.

joaquim.guilherme disse...

bravo! de partir a rir =)

rtp disse...

Genial! Ou melhor ... de mestre! Adoro ler estes posts. Muito divertido. Fica a sensação de que com um processo de confecção deste calibre, depois a refeição é o menos importante/interessante! Bem desta vez não, porque ainda havia whisky... :-)

Anónimo disse...

Post Fabuloso!..li mesmo antes de almoço e fiquei com fome, dos sons e de uma deliciosa refeição cozinhada no Wok! Fabuloso!

Anónimo disse...

Só uma questão...é possível fritar costeletas no WOK? Amazing....

Joe disse...

Eis uma pergunta interessante, que denota (i) argúcia e atenção ao texto e (ii) um amplo domínio da instrumentália e técnicas de "world-cuisine".
Ora bem, explicando: a receita dizia para fazer o molho no mesmo recipiente em que se fritavam as costeletas; sendo a vulgar frigideira (onde normalmente frito costeletas) demasiado rasa para o efeito, o Wok apresentou-se aos olhos de Mestre Joe como a solução mais razoável. That's it.

joao disse...

muito bom mesmo. apenas sugiro azeite em vez de oleo. mais saudavel e menos industrial.